Rinotraqueite Felina

O que é Rinotraqueite Felina

A rinotraqueite felina é uma doença do trato superior respiratório que acomete principalmente gatos. É causada pelo herpesvirus felino 1 (HVF-1).

É uma doença similar ao resfriado comum em seres humanos,  raramente é fatal e normalmente se resolve no intervalo de uma a três semanas.

Sintomas

Os principais sintomas são espirros, secreção nasal (catarro), dificuldade de respirar, febre e desidratação. Por causa da replicação do vírus nos olhos é comum os animais ficarem com os olhinhos fechados e com secreção purulenta. Úlcera de córnea costuma ocorrer com certa frequência. Alguns gatinhos podem desenvolver dermatites (inflamação da pele) ao redor dos olhos também, mas são menos comuns que os outros sintomas.

Transmissão

Esta doença não pode ser transmitida para seres humanos, portanto não é uma zoonose.

Os gatinhos adquirem o vírus, na maioria das vezes, na infância. A principal forma de transmissão direta é por contato com as secreções dos olhos ou nasais. Os espirros também são uma forma indireta e comum de transmissão. A mãe pode transmitir o vírus aos fetos e é comum ocorrer aborto nas gestantes doentes.

Este vírus tem uma curta sobre-vida no ambiente, cerca de 3 horas. É facilmente eliminado por desinfetantes comuns. É importante que gatos saudáveis não compartilhem potes de água ou alimento, nem caminhas ou cobertores com os gatos doentes. A higiene do ambiente é outro fator importante para evitar a transmissão.

Diagnóstico

Existem alguns testes para detectar o vírus, mas a principal forma de diagnóstico são os sintomas e história clínica do gato.

Tratamento

Por se tratar de uma virose, não existem medicamentos que atuem diretamente sobre o vírus. Assim, a medicação será de acordo com os sinais clínicos e sintomas. O gato terá que tomar antibióticos para combater infecções secundárias oportunistas e anti-inflamatórios para reduzir a febre e aliviar o incômodo das lesões na boca. Colírios podem ser necessários para aliviar as secreções oculares.

Em casos mais graves, é necessária a reposição de fluidos, eletrólitos e manutenção do equilíbrio ácido-básico (reposição de perdas de potássio e carbonatos devido à sialorreia e inapetência)

Prevenção

A vacina quádrupla (V4) protege os gatos contra rinotraqueite felina e todos os gatos devem ser imunizados.

Outra forma de prevenção é evitar o contato de gatos saudáveis com os doentes.

Deve-se lavar bem as mãos e trocar de roupas e sapatos, após contato com gatos contaminados. Isso é necessário para não transmitir o vírus aos saudáveis de forma indireta.

Orientações Gerais

Uma vez adquirida a doença, 80% dos gatos tornam-se portadores do vírus para o resto da vida, mesmo que nunca mais apresentem qualquer tipo de sintoma. O vírus pode voltar a se replicar nesses animais em situações de estresse, que pode ser desde uma simples viagem até uma doença debilitante.

Por isso, é importante que os gatos portadores também sejam vacinados quando estiverem com a imunidade alta, sem apresentar sintomas da doença.

A intenção deste blog é meramente informativa e não substitui a necessidade de consulta e prescrição veterinária.

Fontes:

cachorrogato

petmd

sciencedirect

 

  • Jacqueline Cohen adora animais, ler, pesquisar e escrever, assim como ajudar de alguma forma os animais carentes, que precisam de socorro e resgate.

Deixe um Comentário